António Machado Pires

Nº DE ASSEMBLEIA: XV

ANO DE 2012

António Machado Pires, nasceu em Angra do Heroísmo, ilha Terceira – Açores, em 1942.
Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa (1966), onde desempenhou funções de assistente de Vitorino Nemésio. Em meados dos anos setenta foi convidado a colaborar na instalação do recém-criado Instituto Universitário dos Açores (atual Universidade). Em 1979, doutorou-se em Literatura Portuguesa pela mesma universidade, com a tese A Ideia da Decadência na Geração de 70. Foi vice-reitor e reitor da Universidade dos Açores, tendo também fundado e dirigido o departamento de Línguas e Literaturas Modernas. Lecionou cadeiras de Cultura e Literatura Portuguesa, e Teoria da Cultura até 2006, ano em que se aposentou.

Professor catedrático, Ensaísta, Investigador, Prefaciador em especial, de As Ilhas Desconhecidas, de Raúl Brandão, foi prestimoso colaborador no Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Colóquio/Letras, Revista Arquipélago da qual foi diretor e co-fundador, Revista da Universidade de Coimbra, entre outras publicações especializadas, sendo ainda conselheiro do INIC (Instituto Nacional de Investigação Científica), presidente do SIEN (Seminário Internacional de Estudos Nemésianos) e membro do conselho editorial da Imprensa Nacional/ Casa da Moeda.

Dos trabalhos publicados salientam-se os seguintes:

• D. Sebastião e o Encoberto (1971);
• O Século XIX, Cronologia e Quadro de Gerações (1975);
•  Raul Brandão e Vitorino Nemésio (1988);
• Vitorino Nemésio, Rouxinol e Mocho (1998), com nova edição revista em 2009;
• Luz e Sombras no Século XIX em Portugal (2006).

São igualmente numerosos os escritos que tem vindo a publicar sobre Oliveira Martins,
Eça de Queirós e a literatura portuguesa finissecular, ou até mesmo sobre Fernando Pessoa.
Com o objetivo de recuperar a memória da emigração açoriana para o Brasil, partindo de um convite da Universidade Federal de Santa Catarina, a Universidade dos Açores veio a assinar, em 1984 um Convénio que, desde então, muito tem contribuído para o estreitamento de relações entres este dois estabelecimentos de ensino. Deste profícuo trabalho, com particular destaque para a ação de António Machado Pires, salienta-se a realização das Semanas de Estudos Açor-Catarinenses. Em 2004, assinalou-se os 20 anos da celebração do referido Convénio, para a qual o agora homenageado se deslocou ao Brasil, na companhia do então Reitor da Universidade dos Açores, Professor Doutor Avelino Meneses. No âmbito do seu contributo, foi agraciado com a Medalha Brasileira da Universidade de Santa Catarina e com a Ordem de Instrução.